10 Monumentos/placas TURÍSTICAS que há em BV que você passa e nem vê

A gente anda pela cidade e na correria do dia-a-dia não percebe alguns pequenos monumentos que fazem parte da nossa história escondidos as vezes por outros monumentos ou até mesmo esquecidos pelos gestores que com o tempo não fazem manutenção, mas que sua importância pode se transforma em um ponto turístico e entrar pro roteiro do turista. Vamos conhecer 10 homenagens representadas por monumentos e placas que a gente passa todo dia e nem vê.

1- Busto Santos Dumont (Aeroporto)

Localizado na Praça Santos Dumont em frente ao aeroporto Internacional de Boa Vista – Atlas Brasil Cantanhede, o busto de Santos Dumont não se sabe se foi inaugurado em 19 de fevereiro de 1973 ano de inauguração do aeroporto ou quando passou por uma grande reforma em 1998. O aeroporto em 2007 passou por uma nova ampliação e reforma. Em 13 de abril de 2009, o então Presidente Lula sancionou a Lei 11.920/2009, o qual o antigo Aeroporto passou a chamar-se Aeroporto Internacional de Boa Vista – Atlas Brasil Cantanhede. Em frente ao aeroporto, o busto do Santos Dumont é uma homenagem ao criador do avião. Porém, não há placa e data da instalação de tal monumento em frente ao aeroporto, mas a praça Santos Dumont é pública e está no plano diretor da cidade, apesar de ser o estacionamento do aeroporto com serviços privado, hoje o busto tá abandonado. A gente desce no aeroporto da de frente pro busto e nem vê!

IMG_20170513_110705542_HDR

Crédito de Imagem: Jordana Cavalcante
IMG_20170513_110631711_HDR
Crédito de Imagem: Jordana Cavalcante

2- Monumento da Pirâmide (Rotatória da UFRR e aeroporto)

A pirâmide da rotatória do aeroporto com UFRR, hoje é utilizada para manisfestar e representar a semana de algum movimento por meio das cores de suas iluminação noturna e fica linda nas festas de fim ano. Eu confesso que não encontrei nada que conte a sua história ou representação, porém ela está entre um dos cartões postais de BV e vale lembrar que não é o marco zero da cidade, como já li e ouvir outras pessoas falarem.  Você caminha todo dia perto dela e nem vê!

IMG_20170513_111406568_HDR
Crédito de Imagem: Jordana Cavalcante

3- Busto de Tiradentes e Brigadeiro Ottomar de Sousa Pinto (Frente a praça Ayrton Senna)

Em frente a praça Ayrton Senna, há dois bustos, um em homenagem a Alferes Joaquim José da Silva Javier -Tiradentes- que vem como patrono dos policiais militares do Brasil homenageado em 26 de abril de 1996 e o outro referente ao ex-governador e brigadeiro Ottomar de Souza Pinto, foi homenageado em 26 de novembro de 2009 referente aos seus serviços prestados como militar e político no Estado de Roraima a homenagem no descerramento há uma placa e o busto em frente ao QCG – Quartel do Comando Geral. Passa por lá diariamente,  e nem vê, e  não sabemos exatamente sua representatividade e importância para a história de Roraima.

IMG_20170513_111839278_HDR
Crédito de Imagem: Jordana Cavalcante
 

4- Monumento dos três pioneiros (Praça da Cultura – atrás do mini terminal)

Localizada na Praça da Cultura, para quem não sabe onde é, atrás do mini terminal, monumento datado em 1991, sob o teatro de arena que compõe a Praça, ou descansam junto às mesas e bancos de concreto instalados à sua frente. A Praça da Cultura, inaugurada no centro de Boa Vista, no ano de 1992, pelo prefeito Barac Bento, testemunha e materializa uma interpretação específica da realidade histórica de Roraima naquele momento, a praça, foi reformada no ano de 1999, na gestão do ex-prefeito municipal Ottomar Pinto. A arena de concreto, formada por um círculo ladeado por cinco grandes degraus, tem, no alto da construção, três colunas, que, marcando as extremidades, servem de pedestais para estátuas de concreto representando um “fazendeiro”, um “índio” e um garimpeiro”.

O “garimpeiro” está na extremidade esquerda do arco, é representado de chapéu, dorso nu e calças curtas segurando uma bateia com a mão esquerda e uma pá apoiada no ombro direito e fica exatamente de frente para a figura do “fazendeiro”.

Ao centro encontra-se o “índio” retrata um homem jovem, cabelos num corte cuia – lisos e retos, à altura das orelhas-  vestido apenas com uma tanga e empunhando um arco e flecha a frente.

Ao lado direito, encontra-se a representação do “fazendeiro” retratada por um homem de chapéu, camisa e botas, com um laço a tiracolo e apontando com o braço esquerdo para frente, parece uma mistura de bandeirante.

Hoje, o monumento fica em um dos principais complexos turísticos da cidade e encontra-se abadonado pela gestão atual que só faz reformas ao redor, mas não reconstrói o único monumento que há o indígena representado na cidade, já que é elemento principal de criação da cidade e sua história. Desse jeito né, a gente vai continuar passando e nem vê!

IMG_20170513_112755348_HDR
Crédito de Imagem: Jordana Cavalcante

5- Monumento ao CAN (Palácio do Governo)

Localizado em frente ao Palácio do Governo ao lado direito da entrada principal é composto por uma águia de bronze sobre uma coluna branca de concreto. O monumento faz alusão ao Correio Aéreo Nacional, que desde a década de 1940 servia o Território, a estátua contém uma placa metálica que diz laconicamente: “Homenagem ao CAN Roraima, 10/08/1968”. O governo do Território Federal de Roraima reverenciava, indiretamente, à própria Aeronáutica estabelecendo, naquele contexto, um importante lugar de memória para a Instituição que, desde o ano de 1964 e durante todo o Regime Militar, seria a responsável pela indicação dos governadores de Roraima. A gente tira aquele “fotão” do palácio e nem vê ele ali escondidinho quase coberto pelas plantas.

IMG_20170513_105746423_HDR
Crédito de Imagem: Jordana Cavalcante

6- Coreto da Praça e Placa de aço –  Homenagem ao assassinato de um índio (Praça do Centro Cívico)

O Coreto da Praça do Centro Cívico, homenageia Raimundo Soares, o “Marreta”. Inaugurado em 1963 e se tornou o principal ponto cultural de Boa Vista. Este nome é em homenagem ao paraense que foi um dos principais promotores culturais de Boa Vista, sobretudo nas décadas de 60 e 70. Envolvido com a música, promoveu e tocou em diversos carnavais no período. Além disso, há o Memorial Internacional dedicado representado por uma placa de aço, em homenagem ao índio macuxi Ovelário Tames, morto na delegacia de Normandia em 1988, vítima de uma barbárie. O incidente é considerado um dos símbolos da luta pelos direitos indígenas e por conta disso o monumento foi armado no local para registrar o repúdio ao assassinato de um índio. Com a cobertura em acrílico que a reveste parcialmente arrancada. Apesar de revitalizada em 2015, hoje encontra-se danificada e não há como ler nada. Desse jeito, a gente pode até passar e ver, mas não há nada pra ler…

IMG_20170526_162717133
Crédito de Imagem: Jordana Cavalcante

7- Monumento à Bíblia Sagrada (Praça do Centro Cívico)

Monumento à Bíblia, de 1980, é uma placa metálica de identificação está coberta por uma mão de tinta branca. Fica na praça do Centro Cívico em frente a um antigo hotel da cidade, é uma homenagem à Bíblia e fica bem escondida entre as árvores. É rota de todo mundo que passa pelo centro, a gente até vê, mas não sabe o que é.

IMG_20170503_152949702_HDR.jpg

Crédito de Imagem: Jordana Cavalcante

8- Veleiro – Monumento aos Pioneiros (O verdadeiro monumento aos pioneiros – Praça Barreto Leite)

O Monumento representado por um Veleiro é o que restou do primeiro Monumento aos Pioneiros, depois da reforma da Praça Barreto Leite reinaugurada em agosto de 1995, nos 105 de Boa Vista. Conforme a placa, foi construído por ocasião dos 85 anos da “fundação e instalação da cidade de Boa Vista”, o monumento retrata uma embarcação a vela, produzida em concreto, e seus veleiros chegavam a mais de dois metros e meio de altura.

A inauguração desse monumento fez parte de uma programação especial em homenagem à capital do Território, da qual constavam atividades distintas: desde uma mensagem do prefeito na “Alvorada Cívica”. A exemplo do que acontece em outras cidades do Brasil, a instituição de um marco zero para Boa Vista, ou delimitar, como seria chamado mais tarde, o “berço histórico da cidade”, assim sendo o Veleiro hoje é o marco zero da cidade.

Apesar da outra gestão ter feito outro monumento na praça, também denominado monumento aos pioneiros sob outra ótica, o monumento do Veleiro, é o verdadeiro e primeiro monumento em homenagem aos pioneiros na cidade de Boa Vista inaugurado em 9 de julho de 1975 na praça Barreto Leite. Com o outro Monumento com mesmo e nome e mais imponente, a gente passa e nem vê mesmo…

IMG_20170513_104707878_HDR
Crédito de Imagem: Jordana Cavalcante

9- Rotatória da Trevo – Busto Simón Bolivar (Rotatória da BR-174 e BR-401)

Mais conhecida como Rotatória da Trevo, o local é um encontro das três vias que dão acesso as três fronteiras terrestre em Roraima, a Av. Brasil (BR-174), que liga Boa Vista a Manaus, Av. Venezuela (BR-174) que liga Boa Vista a fronteira com a Venezuela e a Av. das Guianas (BR- 401) que liga Boa Vista à fronteira com a Guiana. No Centro da praça há um busto de Simón Bolivar que é considerado por alguns países da América Latina como um herói, visionário, revolucionário, e libertador. Durante seu curto tempo de vida, liderou a Bolívia, a Colômbia, Equador, Panamá, Peru e Venezuela à independência, e ajudou a lançar bases ideológicas democráticas na maioria da América Hispânica. Um lugar que faz parte do dia-a-dia de todo o Roraimense e viajante e a gente passa, nem vê e nem se liga na importância desse ponto turístico no Estado.

IMG_20170526_145137502_HDR
Crédito de imagem: Jordana Cavalcante

10- Placa de aço Fernanda Okamura e Árvore Samaúma (Bosque dos Papagaios)

Homenagem feita por meio de uma placa de aço, onde há suas cinzas, a bióloga e pesquisadora, Fernanda Okamura Abensur, natural de Boa Vista/RR, aos 23 anos, faleceu no dia 1º de setembro de 2008, depois de ter sido arrastada por uma enxurrada no rio Prieto, na província de Naguabo, em Porto Rico. Fernanda, estudou até o ensino médio em BV, quando mudou-se para Manaus para estudar biologia na UFAM e completava seus estudos de mestrado em Biologia na Faculdade de Ciências Naturais da Universidade de Porto Rico. Grande pesquisadora da biologia tropical, as cinzas da estudante foram depositadas em uma pequena cova onde também foi plantada uma muda de Samaúma, árvore da Amazônia que ela pesquisou, são três placas em três lugares em sua homenagem, uma no Inpa, Ufam e outra nos Bosque dos Papagaios próximo a trilha destinada as visitas de estudantes e o público em geral, como turistas da cidade de Boa Vista/RR. Sua função social como pesquisadora científica vale mais que uma homenagem, é um legado para a ciência na amazônia. Aposto que você já possou por lá e nem vê!

IMG_20170526_152951189_HDR
Crédito de Imagem: Jordana Cavalcante

  Você conhece mais algum monumento ou placa que a gente passa e não vê? Deixe aqui seu comentário e ajude a ampliar essa lista de monumentos  de BV. Infelizmente alguns monumentos estão deteriorados e esquecidos pela gestão pública, mas a história faz parte do processo identitário de um povo e esses monumentos são registros que não nos deixam esquecer e o fluxo turístico nos ajuda a manter essa memória.

Bom passeio na história!

Vídeo no Youtube: Jô Viajou

Siga no Instagram: @joviajou

Fanpage: @joviajou

(Visited 75 times, 1 visits today)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.