Como ir para GALÁPAGOS – Equador? Chegando – Parte 1

No fim de ano de 2018 passei meu Natal em Galápagos. Para quem não sabe, Galápagos é um ilha da América do Sul, no Equador. Galápagos possui 58 ilhas vulcânicas que tem como história e conhecimento de muitos, a passagem do naturalista Charles Darwin, e suas pesquisas sobre a Origem das Espécies e a Teoria da Evolução, pelo ano de 1835.

Darwin  apresentou ao mundo as riqueza da fauna e flora da ilha, que inclui iguanas-marinhasleões-marinhos e tartarugas-gigantes, que são lindos e fofos em vários tamanhos, atraindo milhões de pesquisadores e estudiosos, e claro turistas do mundo todo.

Das 58 ilhas, as Ilhas Galápagos é um arquipélago que tem 12 ilhas principais e várias ilhotas, que são as coisas mais lindas. Quatro delas são habitadas: Ilha de Santa Cruz – Puerto Ayora; Ilha Isabela – Puerto Villamil; a  Ilha de São Cristóvão – Puerto Baquerizo  e a Ilha Floreana. Dessas, conheci a Santa Cruz e a Ilha Isabela

Eu fiquei primeiro na maior cidade que é Puerto Ayora, na Ilha de Santa Cruz, tem uma boa estrutura hoteleira, restaurantes, transportes, guias, agências de mergulhos e  lojas. Já a segunda, foi Isabela, concentra-se o maior número de espécimes animais numa mesma ilha e existem hotéis pé na areia, tem muita vida marinha nessa ilha, foi a que mais gostei. Não tive tempo de ir a São Cristóvão, mas é muito procurada principalmente pelos surfistas. 

Como chegar?

Sugiro que você saia do aeroporto de Guayaquil.

No Equador, é o  dólar americano que vai usar. A moeda oficial do Equador desde 2001 é o dólar americano.

Galápagos fica a 1000km do litoral do Equador. Com 2 aeroportos, um fica na  ilha Baltra na  Ilha de Santa Cruz, e outro na Ilha de São Cristóvão.

Sai de Boa Vista pela Colômbia. Fiz Boa Vista/Manaus/Tabatinga de AZUL, atravessei a rua e fui por Letícia na Colômbia e segui para Bogotá de Avianca. De Bogotá segui para Guayaquil no Equador de Avianca, o aeroporto que quase todos os voos que vão para Galápagos passam por lá. De Guayaquil segui para Baltra/Galápagos onde descemos. O fuso é uma hora a menos.

Documentos e taxas quanto gastou?

Primeiramente no aeroporto de Guayaquil você paga a primeira taxa, 20 dólares por pessoa. Se você for despachar bagagem eles verificam nesse raio-x a direita na foto abaixo se há alguma fruta que não pode levar e lacram sua bag ou sua mochila de mão. Não pode levar  frutas, vegetais ou plantas de qualquer tipo, além de  espécies não nativas é considerada uma grande ameaça ao verdadeiro santuário que se forma nas ilhas. Sua bota será analisada, pois podem portar sementes, como solas de sapatos. Minhas botas foram tiradas para ser vistoriadas.

 

Foto: Jô Viajou

Eles pegam seu passaporte e cartão de embarque e você recebe esse cartão com dados do seu voo, tempo de permanência e tudo mais. Se você não tiver essa taxa em mãos, nem entra. Sugiro que levem a carteira de febre amarela, para caso eles solicitem. Para ir para Galápagos, só deixam adentrar no arquipélago quem possui passagens de ida e volta compradas, tudo deve ter reservas feitas no hotel ou cruzeiro com as mesmas datas do cartão de embarque.

Foto: Jô Viajou

Após o embarque, dentro do avião você recebe esse formulário de declaração e já deixa os 50 dólares de entrada na ilha em dinheiro, já que não recebem cartão preenchidos e separado pra facilitar na fila.  O valor é assim, entrada dos turistas, no valor de US$ 50 para adultos e US$ 25 para menores de 12 anos.

Foto: Jô Viajou

Fui de Latam, a passagem custou 24mil pontos de Latam ida e volta de Guayaquil a Baltra. Não tem finger no aeroporto e o sol te recebe bem forte, sendo o pouso bem instável e a pista é curta, mas a paisagem do lado direito de quem senta na poltrona da janela é surreal.

Foto: Jô Viajou

Essa é a entrada do aeroporto de Galápagos na ilha de Baltra, já pode ir preparando o bolso dos 50 dólares com o passaporte depois dessa entrada. Todo mundo tira foto aí.

Foto: Jô Viajou

Depois de pagar a taxa dos 50 dólares de entrada, vamos a mais taxas de transportes. Para ir para a próxima cidade, precisa pegar esse ônibus até a próxima ilha onde fiquei nos primeiros dias. Mais 5 dólares. Vá com roupas leves, pois o sol é de matar. E tenha dinheiro trocado. Ah, e é nesse momento que você pede seu carimbo de galápagos.

Foto: Jô Viajou

Saindo do desembarque a direta tem essa casinha abaixo onde paga o 5 dólares e depois você entra nessa fila que é mais rápida que a da Disney. 🙂

Foto: Jô Viajou

No meio do caminho, dentro do ônibus mesmo, você já começa a ter essa vista.

Foto: Jô Viajou

Depois de desembarcar do ônibus, temos que pegar essa balsa para sair da Ilha de Baltra e seguir pra Santa Cruz, você desembolsar mais 1 dólar.

Foto: Jô Viajou

Assim, esperamos o barco.

Foto: Daniel

Ao desembarcar na Ilha Santa Cruz, em Puerto Ayora temos que pegar um ônibus ou táxi para seguir a ilha, o ônibus, você desembolsa mais 5 dólares para chegar na cidade de Santa Cruz, 42km. De táxi é mais caro, e nesse momento não recordo o preço. Mas lembro que se dividir pra 4, ainda fica mais caro. 😉

Foto: Jô Viajou

Esses, são os ônibus, (foto acima) eles deixam em pontos estratégicos da rua principal e de lá você pega um táxi para sua hospedagem ou vai a pé mesmo se tiver próximo. O táxi custa em média 1,50 dólares para as regiões próximas, mas depois você faz tudo a pé. 😉

Foto: Jô Viajou

Essa é a rua principal, desembarcamos aí pra almoçarmos antes.

Foto: Jô Viajou

Tem uma boa infraestrutura e muita bike na ilha, com ciclovias.

Foto: Jô Viajou

Na parte mais central, tem lojas e bares à disposição dos turistas. Tem de todo o preço.

Foto: Jô Viajou

No meio do caminho encontramos as famosas iguanas-marinhas.

Foto: Jô Viajou

Como chegamos pós meio dia, fomos deixar as mochilas na hospedagem, que foi Airbnb e depois fomos andar.

Foto: Jô Viajou

As placas de sinalização são presentes para os turistas mal educados respeitarem a fauna da região.

 

Foto: Jô Viajou

A coisa mais fofa do mundo são esses Leões-marinhos, essa foto eu tirei. Aquela vontade lesa e boba de pegar no colo e trazer pra casa. 

Foto: Jô Viajou

Assim são as ruas, bem estruturadas na maior parte da Ilha de Santa Cruz.

Foto: Jô Viajou

Claro que a gente não podia deixar de visitar o Parque dele. Como já falei no inicio do texto, esse é o cara, que nas minhas aulas de biologia me fez ter a curiosidade de conhecer mais Galápagos e colocar na minha lista de desejos.

Foto: Daniel

A entrada do Parque Nacional Galápagos é gratuita, no meio de caminho você vai entrando em várias trilhas para sair na praia ou algum observatório. O parque fecha as 17h.

Foto: Jô Viajou

Para agradecer o meu sonho realizado de estar nessa ilha, fomos caçar o Pôr do Sol da ilha dentro do Parque Nacional Galápagos. Lindo Né!

Foto: Jô Viajou

A natureza de sua fauna e flora embelezam o lugar. Só gratidão.

Foto: Jô Viajou
Foto: Andrea.

Fim de tarde no Parque Nacional Galápagos.

Foto: Jô Viajou

Essa é a infraestrutura dentro das trilhas de praia.

Foto: Daniel

Depois do parque, fomos para a orla, local que os leões marinhos dão show de fofura.

Foto: Jô ViajouHá leis na ilha que falam a distância que ficamos dos leões. Se você tiver sentado no banco eles te empurram para deitar. O cheiro dos leões marinhos não são lá essas coisas.

Foto: Jô Viajou

A gente te amiga pra quê?

Foto: Daniel

Depois da brincadeira, fomos jantar na feira da rua que tem várias barraquinhas com especiarias do mar, fresquinhas.

Foto: Jô Viajou

Frutos e peixes do mar fresco toda hora… de dar água na boca.

Foto: Jô Viajou

Média de preços do cardápio de um restaurante, lembrando que é tudo em dólar.

Foto: Jô Viajou
Foto: Jô Viajou

 

Depois da janta, voltamos para o Airbnb para descansar… que no outro dia era dia de mergulho.

Siga no insta: @joviajou

Curta a Fan page: /joviajou

  • Vai viajar? E precisa de SEGURO viagem? Clique aqui e ganhe desconto com a Jô Viajou.

  • Reserve sua HOSPEDAGEM com segurança.Clique aqui!

(Visited 99 times, 1 visits today)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.