10 lugares em Roraima para CONHECER

Desde 1988, no dia 5 de outubro, Roraima deixa de ser território e passa a ser Estado. Como Roraima é um dos biomas mais ricos do mundo, em homenagem ao aniversário do Estado descrevo aqui, 10 lugares que deveríamos conhecer.

1-  Parque Nacional do Monte Roraima – (Pacaraima-RR)

O primeiro lugar da lista é o Parque Nacional do Monte Roraima foi criado em 28 de junho 1989, que quando falamos Roraima, as pessoas logo lembram do principal produto turístico do Estado.  O Parque ocupa cerca de 116.000 hectares.  Protegido no território venezuelano pelo Parque Nacional Canaima e no território brasileiro pelo Parque Nacional do Monte Roraima. Divide-se entre três países: Brasil a leste (5% de sua área), Guiana ao norte (10%) e Venezuela ao sul e oeste (85%).

Quem pode conhecer? Todas as pessoas pelo lado Venezuelano, no Brasil com autorização da Funai e ICMbio.

2- Serra Grande – (Cantá-RR)

A Serra Grande é localizada no município de Cantá, a 38 quilômetros de Boa Vista, o viajante gasta mais 30 quilômetros até chegar ao pé da serra e começar a caminhada. Tem 850 metros de altura, para chegar lá, os viajantes precisam de guias. A serra é rica em biodiversidade como cachoeiras e aves.

Quem pode conhecer? Todas as pessoas, sempre com guia de turismo.

3- Serra do Tepequém – (Amajari-RR)

Localizada no município de Amajarí, a Serra do Tepequém, fica a 210 km de Boa Vista. Na localidade estão localizadas as Vilas do Paiva e Cabo Sobral. O Platô, ponto mais alto da serra, está a 1.022m de altitude. As cachoeiras mais conhecidas são as do Paiva, da Barata, do Sobral e do Funil. Dentre as opções oferecidas no local estão a prática de caminhadas, trilhas de bicicleta, motos ou jipes. Além disso, a serra, de mata densa, reserva belezas naturais, como as orquídeas.

Quem pode conhecer? Todas as pessoas com guia de turismo.

4-  Estação Ecológica  de Maracá (Esec) – (Amajari-RR e Alto Alegre-RR)

Estação Ecológica  de Maracá, é uma unidade de proteção integral, terrestre ou marinha, que tem como objetivos a preservação da natureza e a realização de pesquisas científicas. Com 101 mil hectares, localizados entre os municípios de Amajari e Alto Alegre, no norte de Roraima. Preserva o ambiente natural da terceira maior ilha fluvial do mundo, a ilha de Maracá, que integra um arquipélago formado pelas ilhas e ilhotas do rio Uraricoera, em uma zona de transição de lavrado e floresta, muito rica em fauna e flora.

Quem pode conhecer? Somente, como estímulo à educação ambiental. (estudantes e pesquisadores), com autorização da ICMbio.

5- Parque Viruá – (Caracaraí-RR)

Parque Nacional do Viruá, tem mais de 227.000 e é localizado no município de Caracaraí (RR). O clima é equatorial (quente e úmido), apresentando pequena estação seca, com maiores quedas pluviométricas no outono sendo a unidade de conservação com a maior riqueza de espécies de vertebrados registradas no Brasil (mais de 1,2 mil espécies), com populações de 119 espécies de mamíferos, 531 de aves, 71 de répteis, 47 de anfíbios e 500 de peixes. A unidade realiza programas de combate a incêndios, monitoramento da biodiversidade, ecoturismo de base comunitária, controle da caça de tartaruga no rio Amazonas, além de campanhas e programas educativos.

Quem pode conhecer? Todas as pessoas, com autorização da ICMbio.

6- Estações ecológicas  de Caracaraí (Esec) – (Caracaraí-RR)

A Estação Ecológica de Caracaraí é uma unidade de conservação de proteção integral que abrange uma área de 80.560 hectares, com o objetivo preservar bancos genéticos da fauna e flora, bem como os recursos hídricos, visto que é um lugar onde há grande frequência de inundações.  O acesso à unidade é feito através da BR-174, de Boa Vista até Caracaraí, percorrendo-se aproximadamente 180 km e através dos rios Branco, Ajarani e demais cursos d´água.

Quem pode conhecer? Somente, como estímulo à educação ambiental. (estudantes e pesquisadores), com autorização da ICMbio.

7- Parque Nacional Serra da Mocidade – (Caracaraí-RR) 

A Serra da Mocidade (Roraima) – incluindo uma parte do Parque Nacional Serra da Mocidade. Possui, 376.812,61 hectares. Situa-se na área central de Roraima, nos municípios de Caracaraí (RR) e Barcelos (AM), no encontro de dois ecossistemas distintos, Cerrado e Floresta Amazônica. O acesso se dá pelo rio Capivara e pelo igarapé Bacaba, afluentes do rio Água Boa do Univini. O Parque Nacional tem como objetivo básico a preservação de ecossistemas naturais de grande relevância ecológica e beleza cênica, possibilitando a realização de pesquisas científicas e o desenvolvimento de atividades de educação e de turismo ecológico.

Quem pode conhecer? Todas as pessoas, com autorização da ICMbio e Exército.

8- Lago Caracaranã – (Normandia-RR)

Lago do Caracaranã é um lago localizado no município de Normandia, estado de Roraima. O lago fica a 18 km de Normandia, e 180 km da capital Boa Vista sendo acessível pela BR-401 em um percurso que dura em torno de 2 horas. Com praias de areia fina cercada por cajueiros nativos, num perímetro total de 5,8 quilômetros. Com a demarcação da reserva indígena Raposa e Serra do Sol, que inclui o lago, há a necessidade de autorização para acessar e usufruir do lago.

Quem pode conhecer? Todas as pessoas, com autorização da Comunidade indígena.

9- Comunidade indígena Raposa 1 – (Normandia-RR).

Distante a 240 km da capital Boa Vista é um dos centros regionais da Terra indígena Raposa – Serra do Sol. Com menos de 1000 habitantes, a comunidade é formada em sua maioria, por indígenas da etnia makuxi que vivem no lavrado. Nos últimos anos, especialmente após a homologação da reserva, a comunidade volta ao destaque com atividades culturais que priorizam práticas e saberes ancestrais. Hoje é pioneira no Turismo Comunitário em terras indígenas.

Quem pode conhecer? Todas as pessoas, com autorização da Comunidade indígena.

10- Cachoeira do Urucá – (Uiramutã-RR)

Localizada no extremo norte do Brasil, na fronteira com a Guiana e a Venezuela, a cachoeira do Urucá é uma das mais belas do Uiramutã – RR, município famoso por abrigar o imponente Monte Roraima. A queda tem cerca de 20 metros de altura, e deságua em um riacho absolutamente cristalino. Além dessa cachoeira há outras belezas naturais no Estado.

Quem pode conhecer? Todas as pessoas, com autorização da Comunidade indígena e da Funai.

São 29 anos de Estado

Parabéns Roraima!

Siga:

Insta: @joviajou

Fanpage: @joviajou

 

(Visited 192 times, 1 visits today)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.