19 de Abril: 10 palavras Indígenas do seu dia-a-dia que você NÃO sabe o significado

Hoje é um dia muito especial para o catolicismo e para os indígenas. Eu podia fazer uma lista de 10 coisas pra fazer nesse feriadão, mas pela data ser tão importante para no nosso estado, vai um texto para nós parentes. Para quem não sabe, hoje é o dia do índio, sim, 19 de abril. E em Roraima a gente tem muitas palavras indígenas que passam pelo nossos os olhos, falas e estão no nosso dia-a-dia e a gente nem sabe o significado. Vamos saber!?

1 – Bora pra Orla “Taumanam” ou “Tuwamî”

Faz parte de um dos principais pontos turísticos da capital,  a palavra Taumanan significa “paz” em Makuxi.

Imagem: Jô Viajou

2 – A gente se encontra na Plataformas Meiremê” ou “Mere`mere”.

Ainda na Orla, a plataforma Meiremê significa “arco-íris” em Makuxi, é a  mais alta quase em frente à  Matriz.

Imagem: Jô Viajou

3 – Não, melhor na Plataforma  “Weikepá” ou “Wei epa`ka”

Já na plataforma debaixo, Weikepá, significa “nascer do  sol”, é a mais em frente ao Monumento aos Pioneiros.

Imagem: Jô Viajou

4 – De lá a gente olha a Ponte dos “Macuxi” ou “Makuxi”

Na mesma região turística da capital, você observa a Ponte dos Macuxi, mesmo com a letra “c” Macuxi é uma homenagem a uma das principais etnias indígenas da capital Boa Vista. Quem nasceu na capital Boa Vista, é chamado Macuxi com “c”, quem é indígena da maloca, é Makuxi com “k”, pois no alfabeto Makuxi, não há letra “c”.

Imagem: Jô Viajou

5 – E depois vamos dançar “Parixara” ou “Pari`sara” 

Parixara é um a dança ou  ritual.  O significado  de Parixara é “dança” na língua makuxi.

Imagem: Jô Viajou

6 – E  tomar  “caxiri” “casirî”

Caxiri, é um tipo de bebida. É uma bebida de mandioca cozida e fermentada a partir da mistura da batata roxa ou amarela.

Imagem: Jô Viajou

7 – Lá vem os Curumins” 

Faz referência a crianças, “menino” curumim e “menina” cunhantã em makuxi.

Imagem: Jô Viajou

8 – Somos a lenda de “Makunaíma” ou “Makunaimî”

Diferente  de Macunaíma, o herói sem nenhum caráter, de Mário de Andrade, que permeia a mente de muitos brasileiros. O Makunaíma com “K” . Em Roraima é uma lenda que existem várias versões de Makunaíma, mas diferente de Mário de Andrade. Makunaíma é o pajé que nos trouxe o peixe e a farinha, tristezas e alegrias, uma terra linda e um universo cheio de significados. É o guerreiro que vive no topo do Monte Roraima com suas armas, vigiando o mundo e o universo celeste, e protegendo os povos que ele conhece.

Imagem: Jô Viajou

9 – E tem o nome do Bairro “Paraviana” ou “Paravilhanas”

Paraviana de origem dos Paravilhanas, é uma das primeiras etnias indígena de Roraima, mudado o nome pelo branco para Paraviana. É um grupo indígena, hoje considerado extinto, que habitava em Roraima, alguns teóricos dizem ter  fundido com os Wapichanas.

Imagem: Jô Viajou

10 – Pois é, eu sou de Roraima” ou “Rora`imî”

Vem de Roro-imã, roro – ou também rora – significa grande verde azulado na língua indígena Pemon (Taurepang), e imã significa serra, monte, formando portanto, a palavra “serra verde, que reflete a paisagem natural da região específica. Há ainda, a hipótese da palavra “Roraima” ter outros dois significados: “Mãe dos Ventos” e “Serra do Caju”.  Mas o nome do estado de Roraima, segundo os historiadores, é uma referência ao Monte Roraima.

Imagem: Jô Viajou

Dia 19 de Abril

Dia do Índio

Nossa história sem eles, não é história. Costumes, identidade e tradições expressa num só povo, guerreiros e convictos das suas culturas.

Siga  no insta @jôviajou

Deixe seu comentário se você não sabia  desses significados.

(Visited 332 times, 1 visits today)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.